Central de abastecimento de água no Camboja conta com mais 20% de energia, poupança de água e melhorias no abastecimento

Overview_TEXT

Visão geral

A situação

Na província de Takéo, no Camboja, a empresa de abastecimento de água fazia os possíveis com a tecnologia de que dispunha para fornecer água potável à pequena cidade de Doun Kaev e às 45 aldeias circundantes com cerca de 44 000 pessoas. A Takéo Safe Water Supply Company, fundada em 1995, tem crescido ano após ano. Atualmente, a sua rede abrange aproximadamente 140 quilómetros (87 milhas).

Villages without waterTendo o Lago Roka Khnong como fonte, a central utilizava modelos mais antigos de bombas de Itália ou da China para distribuir a água tratada para a rede, diz o Diretor Sok Por. "Essas bombas só eram verificadas utilizando o manómetro," indica Por. "A equipa de produção fazia as verificações e medições com base nesse manómetro."


Tudo era feito manualmente. Recorrendo a uma combinação do manómetro e de um calendário de utilização diária da água, a equipa acrescentava ou retirava bombas da rede em cada ciclo diário. "Quando a pressão subia acima dos quatro bar, tínhamos de reduzir uma bomba para estabilizar a pressão nas tubagens que podiam rebentar. A equipa de piquete tinha de verificar isso regularmente."


Apesar dos seus melhores esforços, a equipa por vezes sobrestimava a necessidade de pressão, o que resultava em danos nas tubagens, perdas em água não faturada (NRW) e desperdício de energia, acrescenta Por. A Takéo Safe Water Supply experienciou uma taxa elevada de 26% de NRW, custos elevados em peças sobressalentes de bombas para substituição e também clientes insatisfeitos nas aldeias mais longe da central.

 

Aldeias sem água

Por exemplo, a aldeia de Prek Pha-Aov fica a cerca de 10 km (6,2 milhas) da central. Dantes, aqui só havia água nas torneiras durante algumas horas por dia, o que dificultava a vida dos residentes e negócios locais.


"Antes, quando não havia água, a situação era muito difícil para mim," diz Nab Orn, uma habitante local em sua casa. "Eu queria usar água, mas não havia. Nada."


Ela diz que, por esse motivo, pagava para que lhe entregassem água em casa ou, por vezes, comprava água a outros habitantes da aldeia. "Eu gastava muito dinheiro em água," diz ela.
 

A solução

A Takéo Safe Water Supply estabeleceu uma parceria com a Grundfos para implementar uma tecnologia bem comprovada, a Demand-Driven Distribution (DDD ou distribuição determinada pelo consumo), com um novo modelo de financiamento chamado "Contrato Baseado no Desempenho".


Para a DDD, a Grundfos realizou primeiro uma auditoria ao sistema de bombas da central da Takéo, incluindo os principais pontos de dados, como a pressão, o caudal e o consumo de energia, diz Aloysius Chan, Diretor da Grundfos Water Utility no Sudeste Asiático. "Estes dados fornecem uma indicação muito real dos volumes de água não faturada e do consumo de energia, que são dois parâmetros essenciais no que diz respeito à água e à poupança de energia."


Com base nos resultados da auditoria, a Grundfos instalou um sistema DDD, incluindo bombas de alta eficiência para a distribuição de água, painéis de controlo e sensores de pressão. A Grundfos instalou os sensores em pontos críticos na rede. Neste caso, um deles foi instalado na aldeia de Prek Pha-Aov. O sensor mede a pressão e o caudal com base no consumo de água local e envia estas informações para o painel de controlo na central de abastecimento de água. Ao longo do tempo, o sistema aprende a prever os padrões de consumo de aldeia de hora em hora. E ajusta a pressão geral do sistema em conformidade, ou liga ou desliga bombas para fazer a compensação, indica Chan.


De início, os funcionários da central tiveram dificuldade em acreditar que o sistema seria capaz de funcionar automaticamente. Após anos de ajustes manuais e palpites, inicialmente não foi fácil confiar no sistema.


"Antes da instalação, eu receava que a tubagem rebentasse," diz Sok Por. "Se o sistema de abastecimento de água tivesse pressão elevada à noite, mas menos clientes usassem água, eu não esperava que a redução fosse feita automaticamente. Eu não esperava tanto. Mas isto deu provas de ser maravilhoso, mostrando que faz o abastecimento de acordo com as necessidades. É o oposto completo do que eu pensava."

Contrato baseado no desempenho

IEm vez de pagar antecipadamente todo o sistema DDD, a Takéo irá pagar em prestações anuais baseadas nas poupanças alcançadas com a atualização. Assim, se o sistema tiver sido projetado para poupar X dólares em energia e NRW ao longo de cinco anos, a Takéo acorda pagar 50% desse valor à Grundfos, ficando com o resto.


"Nos contratos baseados no desempenho, os operadores de centrais de abastecimento de água apenas têm de angariar uma soma muito reduzida para o investimento, de modo a terem bombas de tecnologia de ponta," diz Chan. "Além disso, conseguem justificar o desempenho em números." O sistema recolhe dados digitais em tempo real, permitindo vigilância diária e a longo prazo: Está a manter a pressão estável nos pontos críticos? As bombas têm o melhor desempenho possível? 


"Em muitas estações de tratamento faltam dados quantificáveis e mensuráveis e, com isso, eles conseguem quantificar e justificar o desempenho das bombas," indica Chan. "Podem justificar o caudal, o consumo de energia e até a pressão a que bombeiam. "E conseguem ver uma tendência completa ao longo de um determinado período de tempo."

 

O resultado

Agora, as aldeias que rodeiam a central de abastecimento de água têm água 24 horas por dia. Os habitantes já não têm de comprar água extra, basta-lhes abrir a torneira. 


"Agora que temos água, eu e a minha família estamos muito confortáveis," diz Nab Orn. "Quando precisamos de água para ferver ou para cozinhar, já não é difícil como antes. "Podemos plantar o que quisermos em casa, mesmo durante o verão." Além disso, alguns aldeões têm pequenos negócios de venda de Kuy Teav (sopa) ou café. Agora têm água suficiente para usar."


Para a central de abastecimento de água, o sistema trouxe poupanças em muitas áreas e uma nova forma de trabalhar.
Ao fim de um ano, os resultados para a central foram os seguintes: Poupança de 20% no consumo energético, redução de 13% nas perdas de NRW devido a fugas e redução de 29% nas ruturas de tubagens.


"Estou muito satisfeito com a instalação deste novo sistema," diz Sok Por. "Primeiro, poupamos eletricidade. Segundo, poupamos matérias-primas, que são as substâncias químicas necessárias para o tratamento. E, por último, reduzimos as perdas. Fornecemos água com base na pressão de que os clientes precisam e água flui exatamente como eles precisam. É completamente diferente do sistema anterior."


Além disso, o sistema DDD permitiu à central reduzir "significativamente" a força de trabalho, segundo diz Por, porque a sua equipa já não tem de monitorizar as bombas durante todo o dia.


O diretor técnico da central, o Sr. Sila, diz: "Alterámos para uma nova tecnologia para podermos ter lucro. Lucro que perdíamos em eletricidade, substâncias químicas, ruturas ou fugas de água nas tubagens. Poupámos muito depois de instalarmos esta nova tecnologia."


O Sr. acrescenta: "Baixámos muito o preço da água e conseguimos mais lucro, e podemos garantir um abastecimento de água constante, o que deixa os nossos clientes satisfeitos."

Tópico:

Demand-driven water distribution

Local:

Takéo Province, Cambodia

Empresa:

Takéo Safe Water Supply Co.

Takéo, Camboja, o diretor técnico da central, o Sr. Sila, diz que a sua empresa poupa 20% em energia e 13% nas perdas em água depois de ter instalado o sistema da Grundfos. "Baixámos muito o preço da água e conseguimos mais lucro," indica ele.

 

Nab Orn, habitante de Prek Pha-Aov, diz que a sua aldeia costumava ter água nas torneiras apenas algumas horas por dia. Por isso, ela tinha de pagar para que lhe entregassem água extra. "Eu gastava muito dinheiro em água."
  

DDD

O Sr. Sok Por, diretor da central de abastecimento de água, diz que não contava que o novo sistema de Demand-Driven Distribution da Grundfos ajustasse a pressão do sistema automaticamente. "Isto deu provas de ser maravilhoso, mostrando que faz o abastecimento de acordo com as necessidades. É o oposto completo do que eu pensava," diz ele.
  

DDD

Em Eang, o diretor da rede de abastecimento da Takéo Safe Water Supply, inspeciona o sensor remoto num dos pontos críticos da rede da central de abastecimento, na aldeia de Prek Pha-Aov, a 10 km da central. O sensor recolhe dados do consumo de água diariamente e envia-os para o controlador na central para que o perfil de carga do sistema seja ajustado automaticamente.
  

DDD

As bombas NKE da Grundfos são o centro do sistema de Demand-Driven Distribution na Takéo Safe Water Supply no Camboja.

DDD

Karthik Balasubramaniam (à esquerda) inspeciona o controlador CU 354, o coração do sistema "DDD", juntamente com Em Eang, diretor da rede de abastecimento na Takéo Safe Water Supply.

Contacts_TEXT

Contacto

Se necessitar de uma solução semelhante, por favor contacte-nos para mais informações.

Telefone

(+351) 21 440 76 00

Contacto

Se necessitar de uma solução semelhante, por favor contacte-nos para mais informações.

Telefone

(+351) 21 440 76 00