Glicol em motores de bombas submersíveis

De forma a garantir proteção contra danos provocados pela formação de gelo durante o transporte e armazenamento, as bombas SP são protegidas por uma mistura de água/glicol. Embora o glicol não seja tóxico, após a eliminação da classe de perigo para a água '0' (WHC 0 = não perigoso para a água), esta substância foi inserida na classe de perigo para a água '1' (WGK 1 = ligeiramente perigoso para a água). Embora se aplique um limite mínimo de 200 l/k ao grupo acima referido, algumas autoridades locais têm regulamentos distintos, que requerem que o fluido do motor seja completamente isento de glicol. Antes de instalar a bomba, contacte as autoridades locais responsáveis pelos serviços de água,

relativamente a este assunto. Trata-se simplesmente de drenar o fluido do motor no local, substituindo-o por água de torneira normal (consulte as instruções de funcionamento).





    Facebook Twitter LinkedIn Technorati