Tempo de retenção

O tempo de retenção descreve a quantidade de tempo que um volume de águas residuais é armazenado numa instalação de bombeamento, num poço, nas tubagens, numa bacia de retenção, etc.

Este tempo pode ser estimado dividindo o volume retido pelo caudal de descarga da estrutura de retenção.

Os tempos de retenção longos e curtos poderão ser tanto desejáveis como indesejáveis, conforme as circunstâncias. No caso de um tempo de retenção prolongado, as partículas sólidas nas águas residuais poderão sedimentar, se a turbulência no fluido não for suficiente para as manter em suspensão. Adicionalmente, os tempos de retenção prolongados permitem a ocorrência de processos biológicos e químicos. Alguns destes processos poderão até ser benéficos (ex: oxidação de compostos tóxicos), enquanto outros serão indesejáveis (ex: formação de H2S no sistema de esgotos). Por outro lado, os tempos de retenção muito curtos poderão significar que alguns dos processos biológicos ou químicos desejáveis não têm tempo de ocorrer (ex: decomposição de matéria orgânica), o que em determinados casos poderá ser o objetivo.

Ao projetar um sistema de esgotos, é necessário estimar o tempo de retenção nas tubagens, e ter em consideração as respetivas consequências.





    Facebook Twitter LinkedIn Technorati