Circuito de mistura, shunt com válvula de 2 vias

O circuito de mistura com shunt é utilizado quando é necessário ter um caudal variável ou uma temperatura variável, ou ambos, do lado secundário.

Um sistema com shunt carateriza-se pelo caudal variável do lado primário e do lado secundário. Durante a maior parte do ano, o caudal é reduzido em ambos os lados para satisfazer as variações na carga térmica. Conseguindo assim grande poupança energética. A perda de temperatura e de calor no tubo de retorno também diminui. O sistema com shunt tem um custo inicial reduzido, e pode ser equipado com válvulas de 2 ou 3 vias. Este sistema adequa-se a caldeiras de condensação devido à sua baixa temperatura de retorno.

• Lado secundário:

Geralmente, a carga será uma superfície de calor ou um sistema de radiadores onde existe a necessidade de uma temperatura variável. Devido a uma diminuição na temperatura, o caudal do lado secundário será geralmente superior ao do lado primário. O caudal poderá ser constante ou variável, dependendo do sistema. A válvula poderá ser colocada no tubo de ida ou no tubo de retorno.

• Lado primário:

O caudal diminui quando a válvula fecha. Se for instalada uma bomba não controlada do lado primário, a pressão diferencial no ponto de ligação irá aumentar quando o caudal diminuir.     

Interação com bombas de velocidade variável:

• Lado secundário:

Devido ao caudal superior do lado secundário, a bomba de velocidade variável terá controlo sobre os sistemas secundários.

• Lado primário:

A bomba diminui de velocidade quando a válvula fecha. Habitualmente, é recomendável ter o controlo da pressão proporcional no caso de sistemas em que a perda de pressão na válvula de controlo é inferior a 50 % da perda total de pressão no sistema.  





    Facebook Twitter LinkedIn Technorati