Bomba de emulsão

A bomba de emulsão tira partido do aumento da admissão de oxigénio na água sob pressão. Ao mesmo tempo, o ar que sobe é utilizado para empurrar - e, assim, circular - a água. Logo, esta bomba adequa-se ao arejamento e à circulação de grandes quantidades de água. As bombas de emulsão são frequentemente utilizadas em situações que exigem o mínimo de manutenção possível. 

A bomba propriamente dita não possui peças móveis, apenas o tubo de subida em que é combinado o fluido e o ar. No entanto, o sistema de bombeamento requer alguma manutenção, uma vez que é necessário equipamento para fornecer ar à bomba.

O ar é introduzido no fundo do tubo de subida, onde é combinado com o fluido. Isto altera a densidade do fluido, fazendo com que a mistura suba no tubo.

A eficiência da bomba de emulsão depende de dois fatores:

• A profundidade de submersão (Hs) em relação à altura geométrica (Hgeo);
• A velocidade do ar através do fluido, e a velocidade do fluido através da bomba. Quanto maior for a diferença entre as velocidades do fluido e do ar, menor será a eficiência global da bomba.

Em condições ideais, a bomba consegue atingir uma eficiência de aproximadamente 35-40%, com um rácio Hs/Hgeo de 2/2,5,  e uma velocidade do ar de 10 m/s.





    Facebook Twitter LinkedIn Technorati