Grundfos regista resultado sólido em 2011

03/04/2012

resultados

A Grundfos nunca vendeu tantas bombas como em 2011. O fabricante dinamarquês conseguiu apresentar assim no ano passado um resultado bastante sólido, com crescimento razoável e lucros satisfatórios.

As vendas alcançadas foram precisamente as previstas, registando um crescimento de 8%. Uma das razões pelas quais o Grupo Grundfos é capaz de apresentar um crescimento nas vendas, mesmo em tempos de crise económica, prende-se com o facto de ter sido bem sucedido na aposta que fez em soluções sustentáveis e com menor impacto ambiental. Além disso, o resultado de 2011 foi também fruto de um grande esforço de dedicação em todas as companhias do Grupo, afirmou o presidente do Grupo Grundfos, Carsten Bjerg (na foto).

 

Neste momento, um grande número de mercados na Europa Ocidental encontra-se em estagnação, pelo que a Grundfos tem expandido o seu volume de negócios noutros mercados. “Prevemos um nível de crescimento inferior para o mercado europeu nos próximos anos. O nosso desafio é precisamente criar crescimento nesta região sem a ajuda dos mercados emergentes. Não temos receio de fazer isto e iremos efetuar investimentos nesse sentido. Estamos também satisfeitos por termos conseguido globalizar o nosso negócio a tempo e reforçado a nossa posição em partes do mundo onde o crescimento económico irá se concentrar nos próximos anos, como os países BRIC, mas também a Turquia, Ucrânia, Tailândia, Vietname e África do Sul, bem como os países do Médio Oriente”, explica Carsten Bjerg. O volume de negócios em 2011 foi de 2.9 biliões Euros, enquanto em 2010 foi de 2.6 biliões Euros, o que representa um crescimento de 8%. Os custos com Pesquisa & Desenvolvimento, bem como custos administrativos e de vendas, aumentaram 13%. Estes valores refletem o facto de a estrutura de propriedade da Grundfos permitir efetuar investimentos a longo prazo reforçando o poder competitivo.

“Os resultados realizados e a solidez económica permitem-nos aumentar a nossa ambição. Estamos a investir em mais recursos nas nossas áreas de desenvolvimento; os investimentos da Grundfos em novas linhas de produção e fábricas irão registar níveis históricos em 2012. Além disso, iremos concentrar também os nossos investimentos na expansão do negócio em Tratamento de Água, refere o presidente do Grupo. As ambições em termos de produção também não diminuíram, acrescenta. Apresentámos recentemente novos circuladores mais eficientes do ponto de vista energético, os quais esperamos que contribuam para aumentar a quota de mercado.”

Por exemplo, em 2011 a Grundfos criou um centro de competências global nas áreas de Abastecimento de Água e Águas Residuais com o objectivo de aumentar o crescimento nestes segmentos. Foram criadas novas companhias de vendas na América do Sul e construídas novas fábricas em Singapura, Sérvia e Hungria.

Em 2008, a Grundfos definiu um objectivo ambicioso referente às emissões de carbono. Independentemente do crescimento do negócio, a Grundfos decidiu que não ultrapassaria o nível de emissões de carbono registado em 2008. Este objectivo tem sido atingido ano após ano. E também em 2011. De facto, desde 2008 que a Grundfos reduziu as emissões de carbono em 10.5%, apesar de as vendas terem aumentado mais de 10% nesse período.

A Grundfos emprega atualmente cerca de 17 mil colaboradores em todo o mundo, sendo que quase 5 mil trabalham na companhia dinamarquesa.

 

 





    Facebook Twitter LinkedIn Technorati